Desvendando o Paraná I: Morretes

Nada como um feriado para recarregar as energias. Tenho primos em Maringá, embora tenha ido algumas vezes á região, nunca fiz turismo por lá… Engraçado, comecei a pensar nisso justamente agora…

Bom… oportunidades não faltarão para eu escrever um pouco sobre Maringá. A cidade que vou descrever agora se chama Morretes. É um ponto ecoturístico muito bonito. Opções de aventuras como passeios de jipe, trekking, trilha, canoagem e etc. não faltam. Abaixo está um mapa da cidade:

A pequena cidade de cerca de 20 mil habitantes é cortado pelo Rio Nhundiaquara. Eu e meus amigos chegamos lá no domingo passado para conhecer a cidade, o famoso ‘barreado’ (comida típica do litoral paranaense), a cachaça de banana conhecida como cachaça morreteana e fazer um tour de trem para Curitiba passando por florestas atlânticas.
Posso dizer que o passeio vale muito à pena. As matas são infinitas à visão, há vários morros deslumbrantes e de tirar o fôlego realmente.

Se você tem intenção de viajar à Morretes, não pode deixar de provar o Barreado. São carnes cozinhadas por até 24 horas com um tempero bem exótico e um sabor bem sofisticado (não que meu paladar sirva de parâmetro). No princípio, parece ‘carne louca’ com uma oleosidade maior. No entanto, o sabor começa a evoluir na boca, a carne praticamente chega a desmanchar e o tempero é uma delícia. Tudo isso acompanhado de peixe e camarão.

Mas cuidado, há muitos restaurantes por lá, como vocês devem ter percebido pelo mapa. Eu só consegui provar o Barreado por ter ido ao Restaurante Olimpo, eles ganharam o prêmio de melhor Barreado da cidade em 2007 (apesar da premiação não ter continuado após este ano). Não era caro o prato, custa R$ 21,50 só o barreado, se pedir o prato completo, sobe para R$ 28, ou seja, se você mora em São Paulo capital, não é um prato caro (levando em conta toda a tradição). Enfim, o fim da história foi que, para minha infelicidade, decidimos comer em outro restaurante que parecia ser mais em conta. Eu pressenti que não seria a mesma coisa, mas acabei decidindo comer lá para ficar com meus amigos. Em tal restaurante, nos serviram o Barreado que na verdade era ‘carne louca’. Gostoso? Sim, muito bom… no entanto, sua mãe ou cozinheira pode fazer a qualquer dia da semana.

O que quero dizer é: se você quer conhecer o novo e aprender sobre novas culturas, é preciso estar disposto a gastar um pouco mais para ter o maior contato possível com o diferente, caso contrário, não será uma experiência tão completa.

No dia, haviam várias feiras de ruas vendendo cachaças e produtos à base de gengibre, banana e maracujá (típicas da região). Provei a cachaça de maracujá e banana, só a de maracujá me agradou. Uma cachaça que tem um pouco de gosto de banana é o Ouro de Morretes (R$ 20).

Bom, melhor do que palavras, são as imagens:

Boa Viagem!

Data da viagem: 06/06/2010

Anúncios

Sobre Albert Takahashi
Brazilian-Japanese, gratuated in advertising, home-broker, traveler, experiencialist, blogger, tweeter guy, youtuber, digital influencer, living/studying French in Montréal currently, analysing the human behaviour and its interaction with the social media.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: