Análise-Explicação: filme A Origem – Inception

O melhor filme de 2010 que eu vi. Vai levar várias estatuetas no Oscar! Edição de imagens impecável, ótimas atuações, efeitos visuais que fazem você viajar e o principal: uma ideia original muito bem articulada – com alguns erros que não devem ser levados em consideração analisando o conjunto da obra.

Sem dúvida uma obra de arte do diretor Christopher Nolan. Quem não curtiu Amnésia?? ou Batman Begins e Batman O Cavaleiro das Trevas?? Dessa vez Nolan deu uma marretada no estômago de muitas pessoas de novo. Leonardo Di Caprio como sempre com ótima atuação. Marion Cotillard, apesar de um papel secundário, teve ótima atuação, além da beleza estonteante (não conhecia essa atriz). Ponto para J. Gordon Levitt também.

Como sempre, aviso, se não curte spoiler ou não quer saber o que acontece antes de ver o filme, não continue lendo.

Nas primeiras duas vezes em que vi o filme, achei intrigante e apesar de ter entendido a ideia geral, algumas partes continuaram nebulosas. Baixei a legenda em inglês e assisti por diversão e pra pegar os detalhes. Na 6ª vez, apelei para a legendas em português. Total: 15 horas de vida, as quais, não me arrependo nem um pouco de ter utilizado – veja bem, na época do Titanic várias garotas assistiram o filme 5, 10 vezes, simplesmente pelo fator emocional.

Vou começar isolando as partes importantes para que o entendimento fique mais fácil. Depois vou dar minha conclusão e vou discorrer o texto com argumentos explicando e o porquê de tal, mostrando algumas partes que não ficaram claras e “viajando” um pouco também.

ENVOLVIDOS:

Cobb: Leonardo Di Caprio – especialista em “extração”, roubar ou pegar uma ideia enquanto a pessoa está dormindo.

Mal: Marion Cotillard – esposa de Cobb, se matou pois não soube mais distinguir a realidade do sonho. Virou uma projeção alimentada pela memória de Cobb e passou a perseguir o mesmo.

EQUIPE:

Ariadne: Ellen Page – arquiteta. Cria os labirintos e todo o background dos sonhos.

Arthur: Joseph Gordon Levitt – especilista em pesquisar sobre a vida do alvo e passar todas as informações necessárias para diminuir os riscos da “extração”

Saito: Ken Watanabe – CEO da segunda maior corporação de energia do mundo que não pode mais concorrer com a principal e, por esse motivo, contrata os serviços de Cobb para fazer uma “inserção” (em vez de roubar uma ideia, eles terão que implantar uma ideia).

Yusef: Dileep Rao – químico. Cria sedativos diferenciados caso seja necessário viajar por 2 ou mais níveis do sonho.

Eames: Tom Hardy – pesquisa o alvo e o personifica (inclusive trejeitos, mode de falar, etc.)

ALVO:

Browning: Tom Berenger – padrinho aparentemente interessado no testamento. Ele não é um alvo, mas é usado pela equipe de Cobb para criar uma ideia baseada no laço afetivo.

Fischer: Cillian Murphy – herdeiro da principal corporação de energia que terá o monopólio do setor. O principal alvo, a equipe de Cobb deverá entrar fundo no subconsciente dele para plantar uma ideia que vai definir Fischer e consequentemente destruir o próprio império.

TERMOS USADO:

Totem: artefato usado para distinguir a realidade do sonho. A única forma de saber se o mundo em que se vive é real ou não.

Pontapé/Kick: quando a pessoa sonha que está caindo, normalmente ela acorda. Essa técnica utiliza a gravidade e é usada para fazer a pessoa acordar de um sonho.

Aviso/música: no entanto, o pontapé deve ser dado com aviso prévio, pois o plano deve ser todo sincronizado. Qual a única forma de saber quando o “extrator” levará o pontapé? Colocar uma música em um dos “extratores”. A música reverbera no subconsciente e assim pode-se calcular que o pontapé virá a qualquer instante.

Níveis do sonho: entrar no nível significa entrar no subconsciente. Há vários níveis como 1, 2, e 3. Estar no nível 2, significa entrar num sonho dentro de outro sonho e no 3, um sonho dentro de outro dentro de outro.

Limbo: último nível do sonho. Nesse lugar um minuto de vida normal pode simbolizar dez anos. Tudo é possível lá, pois o subconsciente não consegue distinguir o real da ilusão.

CONCLUSAO SOBRE O FIM: Cobb e Saito se matam para conseguir voltar  para a vida real. Por que?

Ele criou o Limbo mostrado na parte final do filme e, além disso, ficou preso por lá por 50 anos com Mal (sua esposa). Fica subentendido que ele é o melhor no ramo da extração e construção de mundos dos sonhos, por esse motivo conhecia todos os atalhos e truques. Sem falar que foi o primeiro a realizar uma “inserção” com sucesso e ter conseguido escapar do Limbo. Por que não poderia ter feito de novo?

O jogo de palavras e frases no final é um indício disso também. Para convencer Saito de que aquilo não era real e eles precisavam voltar, ele usa frases que Saito havia dito antes da missão. Quando Saito estava ferido no segundo nível do sonho, ele diz algo do tipo: “eu vou conseguir” e “voltaremos a ser jovens novamente”. Podemos mencionar o que foi dito no começo do filme também quando Saito diz: “você prefere ser um velho cheio de arrependimentos esperando para morrer só?” Essas e outras fases foram a técnica de persuasão utilizadas por Cobb para provar que o mundo no qual Saito estava não era real. Nolan usou essa técnica conosco, foi a dica dele para nós, espectadores, chegarmos a tal conclusão.

O totem no final, acredito, foi uma tentativa de Nolan de plantar a ideia na mente de cada pessoa que viu o filme. Você vai alimentar a ideia de que Cobb voltou realmente ou de que ele ficou preso em outro Limbo? Só o fato de você ter ficado confuso, perdido ou ter gasto tempo refletindo nessa simples ideia, mostra a força de uma ideia e sustenta a frase inicial no começo do filme: “qual o parasita mais resistente que existe?”.

Desmistificando algumas teorias que li, para provar que ele voltou. Os filhos de Cobb na memória estão usando a mesma roupa e não cresceram. Philipa na verdade parece estar usando a mesma roupa, mas na memória de Cobb ela usa uma sandália de cor escura, já no fim, ela está usando um All Star rosa. Na memória de Cobb a posição das crianças no jardim é diferente dá do final. (Nolan gosta de confundir).

O chão do heliporto no começo faz uma ondulação estranha. Ok. Estava chovendo e o chão úmido com água.

Desde o começo foi tudo uma ilusão e Cobb já estava no Limbo. Impossível, pois o totem é girado várias vezes no decorrer do filme, mostrando o que era real e o que não era.

PONTOS DESCONECTADOS:

1. Tenha em mente que para fazer esse trabalho você precisa de muito dinheiro, ou seja, Cobb é podre de rico. Cobb é super inteligente também, pois consegue entender a teoria de algo denso e, mais importante, consegue criar novas aplicações e métodos utilizando-os na prática com perfeição. Saito teve poder para mudar acusações de assassinato com apenas um telefonena. No começo do filme, Cobb estava preparado para desaparecer do mapa fugindo de Saito. É certo que com suas habilidades e grana, conseguiria fugir e viver bem pelo resto da vida. Então eu me pergunto: por que arriscar a vida de toda uma equipe e inclusive a sua aceitando a possibilidade de ficar preso no Limbo para sempre?? Você vai me dizer: vontade de rever os filhos.

Pensa bem. O cara é inteligente e riquíssimo. Não seria mais fácil fazer com que seus pais viajassem com os seus filhos para fora dos EUA para viverem em outro lugar? Mesmo se o FBI, CIA e todas as entidades rastreassem a família, a acusação seria contra Cobb, não envolvendo a família, outra que ele conseguiria fugir, possivelmente. Um ponto é correto aqui: viver fugindo deve ser uma merda. Mas acredito que Cobb era um workaholic. Ele sabia dessa possibilidade, mas preferiu arriscar tudo pois não conseguia mais ficar sem viajar no mundo dos sonhos.

Outra possibilidade: Nolan apenas usou isso para dar base ao foco principal do filme (a teoria que eu mais acredito).

2. No primeiro sonho, quando eles estão no segundo nível do sonho de Saito, Cobb leva Mal para um quarto e amarra uma corda no pé da cadeira. Depois pede para que Mal sente. para que ele possa escalar pelo parapeito do quarto para entrar no quarto debaixo. Ela senta e se levanta, causando uma queda repentina de Cobb. Se ele estava sonhando, a perda de gravidade deveria funcionar como um pontapé e, naquele momento, ele deveria ter acordado no primeiro nível.

3. Quando estão no primeiro nível para tentar implantar a ideia em Fischer uma locomativa entra no meio da cidade. Cobb e Ariadne ficam perplexos. Yusef estava no carro naquele momento, por que ele não disse nada?? Nem quando chegaram ao galpão Yusef menciona a locomotiva na cidade.

4. Por mais que você esteja sedado, um nível de sonho afeta o outro e quanto mais profundo você viaja pelos níveis, mais é preciso ter cuidado, pois o mundo dos sonhos fica mais instável. Minha pergunta é: quando a van rolou a ribanceira no primeiro nível, por que o terceiro nível de sonho não foi afetado?? Em teoria deveria ter sido mais afetado que o segundo nível naquele momento. Por exemplo, quando a van rolou, o hotel do segundo nível começou a dar voltas de 360˚, mas as montanhas do terceiro nível continuaram estáticas.

Outra prova é que quando o pontapé é dado no 1˚ nível, ou seja, quando a van começa a cair no rio, no terceiro nível começa uma avalanche. Quer dizer: o carro rola umas 2 vezes e nada acontece, mas quando a van começa a cair no rio uma avalanche ocorre… não faz sentido.

Mas como eu disse no começo, isso são detalhes técnicos e que não devem de maneira alguma influenciar na obra como um todo.

AVALIAÇAO:

Puta ideia maravilhosa. Eu já sonhei algumas vezes de ter acordado e na verdade acordava em outro sonho (2 níveis). Quanto tempo o Nolan deve ter gasto pra bolar um filme tão articulado e com tantas variantes e detalhes? O cara é um gênio.

NOTA: 10/10

About these ads

Sobre Albert Takahashi
Brazilian-Japanese, gratuated in advertising, home-broker, traveler, experiencialist, blogger, tweeter guy, youtuber, digital influencer, living/studying French in Montréal currently, analysing the human behaviour and its interaction with the social media.

49 Responses to Análise-Explicação: filme A Origem – Inception

  1. Opiniõse condizentes, a minha e a tua…!!!

    http://oirlandes.blogspot.com/search/label/A%20Origem

    Curti o blog

  2. Legal seu blog no blogger. Texto bem escrito tb!

    abs

  3. Lucas Trindade disse:

    Perfeita observacoes nos “pontos desconectados”!! Parabens. Nolal demorou 10 anos pra pensar/desenvolver/produzir o filme.

    Soh tem uma coisa q nao concordo e jah explicando a unica teoria q faz sentido:
    (a minha eh claro) hehehehe

    “Desde o começo foi tudo uma ilusão e Cobb já estava no Limbo. Impossível, pois o totem é girado várias vezes no decorrer do filme, mostrando o que era real e o que não era.”

    O nome do filme eh insercao. Obviamente a principal insercao nao eh no Fisher. E seria muito obvia se fosse na Mal. A verdadeira insercao foi da Mal no Cobb.
    Ambos estavam no Limbo, construindo o mundo deles. Soh q o Cobb se cansou de ficar lah e resolveu voltar. A Mal nao queria voltar pra realidade. E ele insistia pra voltar. Entao ela bolou a insercao nele pra fazer ele querer ficar no mundo dos sonhos pra sempre.
    Entao a Mal fez ele acreditar q ela tinha algo escondido… algo que poderia dizer se akilo era um sonho ou realidade (foi a propria Mal q inventou o totem). Ele roubou a ideia do totem (assim como ele tentou roubar o Sato dentro do terceiro nivel, sem ter sucesso em roubar todas as informacoes, tentou torturar o Sato no segundo nivel).
    A Mal, fez a mesma coisa, deixou o Cobb acreditar q ele roubou o segredo dela. deixou ele achar q ela aceitou se matar pra acordar, deixou ele achar q ela se matou por causa da insercao q ele fez. Ele ficou com remorso e comecou a usar o totem dela. Portanto, se tudo era ainda sonho dela, ele nunca poderia testar a realidade!! Repare q SEMPRE qd ela aparece nos sonhos, ele testa a realidade com o totem DELA.
    Nao faz a minima diferenca se no final o totem para ou nao para, pq a Mal sabe controlar o totem. ela sabe fazer ele cair ou continuar rodando, se eh mesmo q isso de totem funcionaria de qualquer maneira).

    Nos ultimos segundos do filme a Insercao eh ele preferir ficar no sonho (ele nem se importa se eh sonho ou realidade, ou seja eh obviamente um sonho). A Mal conseguiu o q ela queria… mais cedo ou mais tarde ela aparece pra ficar com ele. hehehehe

    Abracos!

  4. Lucas Trindade disse:

    Outro ponto desconectado:
    Corrija-me se estiver errado: Cobb vai pro Limbo resgatar Fischer. Saito soh morre DEPOIS. Como pode Saito envelhecer um monte e Cobb nao ter envelhecido nada?? Ele esta velho tambem??
    Acho que nao.
    Outra coisa, acho q no comeco do filme, quando Saito roda o totem, ele para de rodar e cai sobre a mesa, nao?? Certamente eles estavam no limbo, portanto, como isso seria possivel?? somente se Mal estivesse controlando. Abracos

  5. Lucas, gostei da teoria. Mas continuo com a minha, pois:

    1. Não tenho certeza se Saito realmente girou o totem no começo do filme, isso realmente aconteceu? Eu não lembro.

    2. Bom, a razão pela qual Saito envelheceu e Cobb não, foi pq Saito morreu no terceiro nível antes (1 minuto em outro nível podem significar décadas no Limbo). O mesmo aconteceu com Cobb e Mal. Eles ficaram no Limbo até envelhecer, no entanto, é preciso levar em conta que seres humanos tem necessidades fisiológicas como comer, usar o banheiro, etc.). Os 50 anos que eles ficaram no Limbo pode ter simbolizado uma noite dormindo, pois uma pessoa não pode ficar sem água ou alimento.

    3. No começo do filme, Cobb tenta extrair a informação de Saito no Segundo nível. O grupo não tinha o sedativo necessário para viajar para o terceiro nível (embora Cobb e Mal já tivessem chegado ao Limbo antes).

    4. Se Mal pode controlar o totem a seu bel prazer, por que ela não fez com que o totem caísse sempre? O momento ideal para ela ter feito isso, seria quando Cobb retornou ao Limbo para resgatar Fischer e Saito. Eles estavam lá, se ela pudesse controlar o totem, após o argumento dela de que Cobb não sabia o que era real, ela poderia simplesmente desafiar Cobb e dizer: rode o seu totem. Se ela tem o controle, ela poderia fazer o totem cair na frente dele, ele com certeza colocaria em xeque que ele é que estava sonhando e acreditaria, mas não foi o que aconteceu.

    Obrigado pelos pontos de vista observados e por enriquecer o blog!!

    Abraços

  6. Lucas Trindade disse:

    Acho q vou te convencer. hehehehe

    1) ainda vou verificar.

    2) Cobb vai pro Limbo pra procurar por Fischer ANTES de Saito morrer… tanto que quando ocorre a explosao da granada no terceiro nivel, eles concluem que Saito esta morto. Entao, Cobb jah estava no Limbo. Saito morre depois… no entando… qd Cobb acha Saito, Cobb nao esta envelhecido, mas Saito esta…

    3) Exato, falei errado, mas nao muda nada… ele achou que estivesse roubando as informacoes “top secrets” de Saito… mas na verdade, por Saito estar desconfiado de que akilo era um sonho, ele escondeu informacoes confidenciais… EXATAMENTE o que Mal poderia ter feito… fingiu que guardou algo importante no cofre… quando Cobb roubou o totem dela, na verdade nao era o totem verdadeiro…
    (ela enganou ele, assim como Saito enganou Cobb.) O truque de Saito foi mais pra mostrar pra gente q eh possivel nao colocar todas as informacoes dentro do “cofre”.
    Entao Cobb e Mal se matam e acordaram num nivel anterior do sonho. ele nao poderia nunca distinguir o q era realidade, pois ele nunca teve seu proprio totem… Quando eles “acordam” na casa deles, nao tem nenhuma maquina pra conectar sonhos… ninguem verifica a realidade com nenhum totem…
    qd eles acordam, ainda eh um sonho… e a Mal esta fingindo q acredita q akilo eh realidade…
    ela se mata e planta a ideia na cabeca do Cobb q ela se matou por causa dele e q ele nunca mais vai poder ficar com as criancas… essa ideia cresce na cabeca dele… e ele quer desesperadamente ficar com as criancas e se culpa pela morte da Mal… ela fez isso pq ela queria viver infinitamente no Limbo, mas Cobb queria acordar e ficava insistindo… a unica maneira de fazer ele parar de querer a realidade… foi fazer a ideia de querer ficar com as criancas crescer na cabeca dele… entao no final.. nao mais importa se eh realidade ou sonho… o q importa eh q ele tava com as criancas… essa ideia foi CRESCEU MUITO… essa ideia foi a “inception” (nome do filme)… entao ele NAO MAIS OLHA pro totem… ele nao se importa…
    a Mal convenceu ele a ficar no mundo dos sonhos…

    4) Ela poderia fazer isso, mas nao eh isso que importa… o importante pra Mal era q ele quisesse ficar com ela… nao importa aonde… Quando eles estavam no Limbo, tudo estava bem… eles envelheceram juntos… ate que Cobb decidiu querer voltar pra realidade… o totem nao precisa ser somente um totem…
    se ele ver algo q nao deveria ver, por exemplo a propria Mal… ele iria ter certeza q esta num sonho…
    no final do filme ela questiona isso.. “realmente importa se isso eh um sonho ou realidade?? fica aqui comigo pra sempre” ou seja… com esse pedido… com a vontade de ver as criancas.. com a vontade de estar com a Mal e nao se sentir culpado com a morte dela… ele resolve nao mais olhar pro Totem… esse eh o ponto crucial do filme… ele NAO OLHAR PRO RESULTADO do totem…

    Por exemplo… o pai do Fischer somente fala pra ele: “fiquei decepcionado q vc tentou ser igual a mim” e mostra o cata-vento e depois morre… soh isso fez com q ele se desfizesse de TODA A EMPRESA MEGA MILHIONARIA!!! hahahaha fala serio… isso foi pra mostrar pra gente q o pedido do pai no leito de morte foi super importante pra convencer o filho a mudar…. assim como a Mal depois de levar um tiro da Ariadne… estava no leito de morte (se eh q eh possivel morrer dentro do LIMBO! hahahaha) e pede pro Cobb ficar com ela, ficar no mundo dos sonhos… e eh exatamente assim o final… ele nem para pra ver o resultado do Totem!!! simplesmente pelo pedido da Mal… assim como o Fischer seque os conselhos do pai morimbundo…

    Abracos!

  7. Hugo disse:

    Eu detalhe que acho que passou por quase todos…
    Quando se morre no sonho com um sedativo forte o que acontece?
    Vai para o Limbo assim como o Saito foi.
    Porém, quando toca a música e todos voltam pelos níveis no final do filme, o Cobb morre afogado no primeiro nível!
    Estranho né… outra coisa, a Ariadne é mais safo do que todos… por isso creio na tese de que o sogro do Cobb usou a Ariadne (já era treinada para fazer o que o Cobb fazia pois em um momento ele fala “Ela aprendeu muito rápido” ou algo do tipo..) para tirar a culpa (Inserção no Cobb) que ele tinha por ter suportamente matado a Mal…
    Mais uma coisa é: se ele tivesse realmente matado a Mal o sogro dele seria tão “legal” ou “bacana” com ele? É estranho pois parece que a Mal não morreu ou então ele não tem culpa alguma pela morte da Mal tanto é que quando Cobb vai na universidade o sogro dele fala pra ele voltar pra realidade.

    São alguns pontos que ficam para questionamento.

  8. Opa! Realmente é preciso viajar bastante pra entender o seu raciocínio. É uma possibilidade sim e realmente vc tem um argumento forte qdo escreve que Mal e Cobb acordaram numa sala sem nenhum aparelho e tal. Erro técnico? Proposital? sei lá!

    Sua teoria é bem eloquente, mas é muito complexa tb. Tipo o filme já é meio denso e vc bolou uma teoria que dá voltas e voltas (é um elogio) e faz tudo ficar ainda mais complexo!

    Apesar de concordar com a possibilidade que vc apresentou, fico com a minha ainda porque tem coisas que não fazem sentido. Por exemplo… Mal queria ficar com o Cobb e conseguiu arrastar ele pro Limbo. Se vc morre no Limbo, vc acorda em outro nível. Na última parte, Mal claramente tenta matar Cobb com uma faca. Ou seja, ela fez um puta esforço pra trazer ele pro Limbo de novo e tenta matar ele? Ele já estava lá, ela tem o controle do Totem… ela poderia simplesmente pedir ao Cobb para girar o totem e ela poderia fazer o totem cair.

    No ponto que vc fala da inserção no Fischer, ela foi sendo criada nas camadas. O grupo criou o contexto e o cenário para que a mente criativa de Fischer modelasse o resto. Na última parte, foi o Fischer que criou o que ele queria. Ele queria que o pai o amasse. A construção nas outras camadas fizeram com que o sonho preenchesse os gaps.

    abs

  9. Realmente… o Cobb morre na van e acorda no nível normal sem o Pontapé. O Saito tb… Intrigante!

    Obrigado pelos pontos levantados!

    abs

  10. Sorayha disse:

    Outro ponto do filme que me intriga; quando a Mal e o Cobb estavam supostamente no limbo, é dito que eles envelheceram juntos. Mas quando aparece eles velhos de mãos dadas, não mostra o rosto. E nem mostra o limbo. Além disso, eles supostamente voltam do limbo depois de se suicidarem na linha de um trem! E nessa cena eles estão JOVENS. Estranho… Para mim a Mal estava certa. Ela se joga do prédio para ter o ponta pé e acordar do primeiro nível do sonho – do qual o Cobb não consegue acordar por acreditar que é verdade. E como ele continua dormindo, ela entra no sonho dele diversas vezes – já que está viva no mundo real- tentando resgatá-lo. No último encontro dos dois, ela quer mostrar os filhos a ele mas ele não quer olhar. Porque?
    Se ela estava morta e era uma criação dele, o que ela poderia mostrar dos filhos que ele já não lembrasse? Por isso pra mim ela se inseriu no sonho na tentativa de mostrar o rosto atual das crianças (uma vez que ela estaria viva com os filhos).
    Outra coisa, sempre que a Mal aparece, está sabotando o enredo do sonho de Cobb. Como se quisesse que ele desistisse de tudo realmente.
    Mas mesmo assim, acho que o melhor é ver o filme mais umas dez vezes rs

  11. Vinicius Ramalho disse:

    Bom texto sobre filme, me ajudou bastante,porém tem tantas informações que as vezes confundo as ideias.Estou frito, tenho que fazer uma resenha sobre imaginario social baseado nesse filme!
    Acho que vou durmi para tentar extrair a ideia de alguém!=P

  12. Thiago Henrique TX disse:

    Lucas Trindade
    o final era realidade! pq em nenhum sonho o pai de cobb apareceu :)

  13. Nerd disse:

    No limbo em q o Cobi criou(final do filme) estam a Ariadine, o fisher, a mal e o Cobi
    a Ariadine joga o fisher e se joga e os dois acordam no 3 sonho depois 2 a assim sucessivamente
    porem o Cobi ainda fica no limbo
    + se uma qeda é um chute pq o Cobi tbm nao acorda no 3 sonho e assim em diante???
    afinal o predio estava sendo totalmente destruido.
    a nao ser q ele tenha criado asa e voado^^

  14. Bruno Costa disse:

    Ha um erro na tua teoria, disseste que se deveria sentir mais o efeito no 3 nivel quando a van rolou, mas e o contrario, no 3 nivel sente-se menos, como Coob mencionou depois do Saito ter sido alvejado, nessa altura ele disse que em niveis mais abaixo se iria sentir menos o efeito, e foi isso que aconteceu, apenas uma avalanche.

    Tirando isso penso que estas muito acertado e fizeste um trabalho espetacular ;D

  15. Opa!

    Obrigado pela consideração!

    Abs

  16. Edubaro disse:

    Alguns pontos importantes e bem mais simples:

    Acredito que o Cobb estava em um sonho a partir do momento que conheceu Yusef.

    Neste momento, Yusef sugere que Cobb experimente o sedativo.

    Ele experimenta e ao voltar a realidade, ele corre para o Banheiro desesperado para testar seu Totem, ele queria saber se era realidade ou sonho, como sempre fez!
    Neste exato momento, Saito entra, e “SEM SABER SE O PEÃO IA CAIR OU NÃO”, Cobb guarda o peão!

    A partir dai, reparem, ele não gira mais o Totem, só no final, e mesmo assim, ele não cai.

    Conclusão:

    Ele foi enganado por Saito, Yusef e Eames.

    Abraços.

  17. Tiago Ervatti disse:

    O filme Realmente é espetacular.

    Porem pessoal, a chave principal pra mim, nesse filme, é saber quando se está sonhando ou não. Gostei muito das ideias que tiveram aqui. Mas vamos ao Principal.

    Independente de qualquer outra coisa, como saber se está acordado ou Dormindo? O Totem, Correto?

    Ok, Todo o tempo Cobb usa o peão para esse fim, mas na verdade esse totem é da Mal e não dele. E durante o Filme ele mesmo fala, que somente você pode usar o Totem, pois assim vai saber realmente o funcionamento correto dele, seja qual for, e assim sabendo se está acordado ou não.

    A pergunta é, se o Totem da Mal é o peão, Qual é o verdadeiro Totem de Cobb? Aliança? Como é o seu funcionamento?
    Acredito que se focarmos nesse ponto e conseguirmos descobrir, vamos adicionar uma informação muito importante nas varias teorias existentes.

    Pra mim todo momento que ele rodou o Peão, para verificar se estava em um sonho, não valeu de nada (mesmo rodando ou parando de rodar), pois não era seu verdadeiro Totem, ou seja invalidando o teste, que é o seu principal objetivo.

    [ ] `s

  18. No DVD ele revela que o roteiro levou 11 anos para ficar pronto.

  19. Daniel MM disse:

    Uma coisa eu considero como certa: No final do filme, Cobb está num sonho! Observem: Quando ele liga pra falar com os filhos, quem cuida dos filhos? A avó deles.. (mãe da Mal) e no final do filme, além do totem não cair, onde está a avó das crianças? Que é responsável pela guarda e os cria? Não está… é um sonho! E se ele acordou do avião e acordou então num sonho.. tudo era um sonho.. e a teoria q faz mais sentido é a que foi a Mal q plantou a idéia.. não ele. Quem discorda? Abraxxxx

  20. Carol disse:

    Se vocês analisarem o filme novamente vocês perceberam que o totem do Cobb é a aliança. Quando ele está sonhando, ele sempre está com a aliança, mas quando ele está acordado, ele aparece sem ela. Na parte final do filme, quando ele entrega o passaporte, você não vê nenhuma aliança! Então, realmente, no final de tudo ele está acordado na realidade dele!

  21. Carol disse:

    Outra parte interessante que comprova que ele está acordado no final do filme é que ele disse à Ariadne que, nos sonhos dele, toda vez que ele chama pelos filhos, ele não consegue ver os rostos deles, porque eles saem correndo. E no final não é isso que acontece!

  22. Luciana disse:

    Realmente, esse filme é fantástico! Nunca fiquei tão fascinada por um filme como fiquei com Inception. Não sei dizer quantas vezes já assisti para tentar entender. Sou professora de T.I. e até fiz uma sessão cinema com meus alunos em época de provas (para tirá-los da “realidade” da semana de provas) e escolhi justamente esse filme para fazê-los pensar em algo diferente, “viajar” nas possibilidades do filme, para relaxar com algo diferente de estudo. Eles amaram! Um deles já havia assistido e mal piscava os olhos durante a exibição.

    Minha teoria é a de que Cobb não estava sonhando. Era realmente real, inclusive depois que ele prova o sedativo do Yusef. Ele alternava entre sonho e realidade. Acredito sim na ideia de que era verdade quando ele girava o totem da Mal. Ele provavelmente “estudou” o totem e sabia do funcionamento dele, pois quando girava sem parar, era sonho. Quando parava de girar, era realidade. Ele sabia disso, uma vez que funcionava assim com a Mal. Uma pessoa não pode revelar para a outra o segredo do Totem e nem deixar que a outra coloque as mãos para não perceber nada de diferente (peso, se gira, se cai) tanto que a Ariadne não deixa o Cobb colocar a mão no Totem que ela estava fazendo, justamente para que ele não consiga perceber seu funcionamento. Porém o totem da Mal ele sabia como era, pois já havia percebido a mesma usando-o.

    Acredito também que a Mal se jogou do prédio sem estar sonhando, pois ela deixou de usar o Totem para distinguir a realidade do sonho. Sendo assim, ela se jogou enquanto estava acordada, achando que estava no sonho, justamente pensando que iria para o limbo onde viveria para sempre. E sinceramente, como disse o Yusef, dependendo do sonho, não dá vontade de acordar! Já sonhei coisas maravilhosas, acordei e dormi novamente, tentando sonhar o mesmo sonho! Se a ideia do filme fosse possível, eu seria uma daquelas pessoas no porão do Yusef! Rs

    Também gosto de pensar que o fato do totem continuar girando no final do filme foi justamente uma jogada de Nolan para que gerasse a discussão se era real ou não, se Cobb estava sonhando ou acordado…algo dito aqui em um post também pode enfatizar isso: as crianças se viram para ele e ele consegue ver os rostos, o que não era possível quando ele estava em seus sonhos.

    Bom, encontrei esse blog pesquisando assuntos sobre o filme, enquanto começava a assistir pela milésima vez Inception!

    Se eu conseguir pensar em mais alguma teoria enquanto assisto, postarei aqui novamente.

    Parabéns a todos que comentaram. Isso nos ajuda a tentar entender o filme através de perspectivas diferentes e inúmeras possibilidades!

    Abraços,

    Luciana

  23. Junior Justino disse:

    “Inception” em portugês quer dizer Início, Começo e não “Inserção.
    Po isso o nome do filme “A Origem”

  24. Natalia disse:

    Só o diretor do filme pra explicar o que aconteceu de verdade.

  25. nemesio disse:

    é de fato possível a inserção ?

  26. Tiago Ervatti disse:

    Fala nemesio, cara entendo que sim, vc faz isso o tempo todo e não percebe, seja dando conselho pra alguém, alguma informação, dicas e etc. Porem em um contexto mais real, tirando totalmente a ficção do filme, nada de sonho nem nada.

    Por exemplo:
    Se alguem te pergunta algo como:
    “Preciso ir para a rua tal, onde fica a loja X, Saberia me informar?”
    Vc Responde:
    “Sim, pode virar na terceira rua à direita”

    Pronto, vc inseriu uma ideia de que ela tem q ir naquele caminho, pois é para onde ela quer ir. Seja esse o caminho certo ou não.

    Agora se for pensar em algo mais ficção, não sei se existe alguma forma de jogar uma onda elétrica para q o cérebro receba essa informação como se você tivesse pensado nela.
    Acho que da mesma forma que é possível ler as ondas e mover proteses robóticas, talvez seja possível inseri-las também.

    Luciana, também sou de T.I, acho q essa profissão, nós faz viajar ainda mais.. rs

    Natalia, acho que nem o Nolan vai pensar em algo tão certo que não possamos questionar. O filme é excelente e faz nossa mente criar varias possibilidades. Ele criou o final com ideia, “Agora é com vocês, se virem ai”. Por isso estamos aqui. hehe

    [ ] `s

  27. Gustavo Assef disse:

    Cara, a analise do filme está ótima, concordei e pensei em tudo quase igual… Mas eu soh tenho uma dúvida que me persegue
    Por que no final do filme, quando Cobb vai salvar Saito do Limbo, o Saito está velho e o Cobb não? Ok que um minuto no limbo podem ser dez anos, só que se for analisar, Cobb vai pro limbo antes do Saito, pois ele vai atras do Fischer…E depois que ele já está lá que o Saito morre no terceiro nível e vai pra lá…Tanto que o proprio Cobb justifica sua ´´não saída do limbo´´ com a frase ´´A essa altura, o Saito já deve ter morrido e está por aqui, eu preciso acha-lo´´
    Eu perdi alguma coisa aí pra não sacar o motivo dele estar velho?
    Se souber de algo que eu não sei, vai aliviar essa duvida q eu tenho..Haha
    Abraços

  28. Maycon Martins disse:

    Saito tá mais velho no limbo porque ele entra no limbo quando ele morre lá no terceiro nível. Cobb vai realmente para o limbo encontrar Saito quando morre afogado na van voltando ao primeiro nível, ou seja todos saem da van, primeiro o Fischer e o falso tio dele, os outros saem instantes depois em outra direção para despistar Fischer, e o Cobb fica na van e morre, e só aí ele encontra com Saito no Limbo. Esses instantes de diferença, como você já sabe, representariam muitos anos no sonho.

    Ah, no fim do filme, o Cobb não está sonhando. O Toten não pára de rodar para representar a “seqüela” que a Mal lhe inseriu parcialmente (a “Mal Memória”, que tava presa lá no porão, no último nível de Cobb, no final do filme) ou seja, quando ela fala incessantemente à ele já no final do filme que o mundo real que espera por ele no final da missão não é real ( o contrário do que ele fez com ela, mais com as mesmas consequencias), pedindo ele para ficar lá com ela, inclusive pedindo aos filhos que virassem o rosto para o Cobb ver, Cobb vira a cara pra não ver o rosto dos filhos, porque tem medo de acreditar naquilo, consequentemente aceitando a inserção (como ele se nega a olhar e acreditar, eu digo que foi uma “semi-inserção”). Mais quando Mal insiste com ele ela acaba fazendo um tipo de “semi-inserção”, que poderia gerar talvez uma pequena dúvida em Cobb no final do filme depois, ao rever seus filhos, dúvida na qual não é mostrada a reação de Cobb, mas é representada pelo toten rodando até o filme acabar (uma representação do diretor para encerrar o filme que já é grande demais, sem precisar mostrar a expressão de incerteza de Cobb).

    Quando a Mal tenta fazer isso que chamei de “semi-inserção” em Cobb (uma insersão que não se completou), sem dúvida seria uma expressão do arrependimento no subconsiente de Cobb, do que fez com a Mal, tentando por em xeque sua percepção de realidade, tentando convencê-lo a voltar pra ela no sonho para confortá-lo da perda e responsabilidade de sua morte, uma dor tão grande quanto a distância de seus filhos.

    Um dos filmes mais geniais de todos os tempos! Sempre que assisto, quando todos acordam no avião, no final do filme, vendo que todo o plano deu certo, um olhando para o outro, eu sempre arrepio, pois é a idéia de um roteiro mais complexa que eu já vi com um desenrrolar perfeito, sem furos, é indescritível. Embora não seja nenhuma mega-produção, acho que é um dos melhores filmes que já vi, talves um dos melhores do mundo!

    P.S. Christopher Nolan tem um outro filme desse mesmo nível: “O Grande Truque”. Quem não viu fica a dica. Imperdível também!

  29. Maycon Martins disse:

    Ah, esqueci falar que quando Ariadne, Cobb e Fisher saem do 3º nível, eles ainda não estão no limbo, eles foram p/ um 4º nível, onde depois Mal aparece.

    Outro detalhe: um suicídio, onde o autor tem consciência da realidade e do sonho, não o leva ao limbo. (fica o exemplo que onde Ariadne pula do penhasco no final e toma um chute em vez de morrer e ir p/ limbo)
    No caso da morte involuntária, ou acidental, como o caso de Saito, aí sim vai pro limbo.

  30. Claudemir Pires disse:

    A maioria dos seus comentários faz sentido, mas por outro lado deixa de levar em conta outros pontos: no topico 4 dos pontos desconectados vc esqueceu que de um nível de sonho para outro há alguns segundos de diferença, o que pode significar até anos dependendo do nível que está, por isso o que ocorre em um nivel de sonho tem um tempo até atingir o nível mais fundo, por isso o chute nunca é no mesmo tempo entre os níveis….

  31. Claudemir Pires disse:

    Realmente há vários pontos a ser discutido, realmente já pensei na hipótese de nada daquilo ser verdade, como se o Coob estivesse no limbo desde o começo do filme e construísse tudo aquilo, afinal a única coisa que diferenciava a vida real do sonho era o totem, mas como ele mesmo prova no filme, uma “idéia pode ser plantada” a de que tudo o que aconteceu fosse realidade por exemplo, a idéia do totem girando ou prando também pode ser plantada e assim confundindo a vida real do sonho.

  32. Anônimo disse:

    só esclarecendo uma coisa: diferente das outras definições do nome do filme nos comentários, Inseption e uma expresão inglesa que pode significar “um sonho dentro do sonho”.

  33. Tiago Ervatti disse:

    Estou contigo nessa idéia Claudemir.
    Pra mim o principal do filme é.
    Somente a pessoa dona do Totem sabe como ele funciona e com isso pode validar se realmente está acordado ou não.

    Se Cobb está usando o Totem da mal, como ele pode saber se o teste funcionou ou não?
    Ou seja todos os testes que ele fez com esse Totem, foram em vão.

    Um ponto sobre a morte involuntária ou acidental. De ir pro limbo ou não.
    Quando Ariadne faz o seu primeiro papel de arquiteta no subconsciente do Cobb. Ela cria um cenário que é uma lembrança dele, com isso seu subconsciente, ataca Ariadne, onde mal aparece e a esfaqueia.
    Ariadne, acorda como se tivesse recebido um “chute” e não vai para o limbo.

    [ ] ‘s

  34. Renato disse:

    Tiago Ervatti.
    Ariadne não vai pro limbo quando leva a facada da mal por que o sedativo não era forte o bastante…

    Maycon Martins.
    Ariadne não estava tentando se matar,ela estava atras da sensação de queda(chute).
    Tanto é que ela acorda antes de se espatifar no chão.

    E Albert Takahasi
    Eu concordo em tudo com você tive a mesma ideia vendo o filme…e a aliança o fato de Cobb estar com ela nos sonhos e não estar com ela na realidade é algo que ajuda na teoria de que no final do filme ele estava na realidade…

  35. Cine pica disse:

    A verdade é unica…. não existe interpretação certa, mas sim muitas… porém é impossível, mal ter entrado no subconsciente do cobb, e tentar fingir que ela tinha um segredo, cobb guarda o totem de mal por causa do remorso, da lembrança, todos no filme estão de acordo que a mal morreu, a mal nao poderia criar subconscientes com os outros somente com o cobb ( como ariadne, saito e os outros ficaram tanto tempo manipulando cobb? Impossível… o final?? repare no aeroporto, por um momento TODOS olham pro cobb, engraçado que isso acontece quando o subconsciente busca um invasor…. pra finalizar, mal é lembrança, e remorso, isso faz com que ela sempre atrapalhe os planos de cobb, justamente por ele noa conseguir controlar ela(a projeção) dentro do labirinto( ela descobre a saida, por isso ele noa pode mais projetar) Em relação ao sogro do cobb ou pai sei lá…. ele sabe do que ele faz, das inserções então ele sabia que o cobb nao tinha culpa na morte de mal…. e a morte de mal é muito bem explicada! Enfim a ideia é essa, deixar todos com interpretações diversas, so acho impossivel, com todo o respeito, mal ter feito a inserção no cobb. abs

  36. Thalia disse:

    Como foi dito no filme o sedativo usado na missão era tão forte que mesmo se a pessoa morresse no sonho ela não acordaria e sim iria para o limbo pois não conseguiria acordar devido ao efeito do sedativo.

    Saito está velho no final do filme pois ele morre no 3º nivel ele vai para o Limbo e Cobb também vai, mas só depois de morrer no 1º nivel do filme, ou seja, o espaço de tempo entre as duas mortes durou anos no Limbo onde Saito estava e por isso ele estava velho.

  37. Nilvio disse:

    Muito obrigado à todos que escreveram no blog e a pessoa que o criou, pois eu já estava louco com tantos detalhes, até baixei o filme e dei de presente pro meu irmão e a minha conclusão é que o “FIM É REAL”.

  38. Paulo disse:

    Li boas teorias , mas eu vou lançar a minha ;)
    1: Se reparem Miles ensinou Cobb a “navegar” nos sonhos para retirar ideias , na suposta universidade que cobb vai ter com miles para lhe dizer que vai voltar para os filhos . e num final de conversa o miles diz-lhe “volta a realidade” isto para mim é o inicio de uma “inserção” de ideia no cobb de que a culpa não era dele na morte da Mal . Ou seja quem realmente esta a fazer a inserção é o Miles no Cobb e cria um plano para isso desde a recomendar uma arquitecta para ele . E quando eles vão avançado os varios niveis até ao limbo a arquitecta segue o sempre e é sempre ela que o questiona da Mal . E como só ele sabia fazer inserção de ideias como quando o fez com Mal , eles arrastam o cobb a praticar a inserção no empresário para eles poderem perceber como se faz …
    E no final acredito mesmo que voltou a realidade , ou pelo menos assim pensa , que ele pega no totem e lança-o e nem se importa mais com isso …
    O Miles teve sucesso na inserção de ideias , fez-lo voltar a realidade sem se sentir culpado pela morte de Mel .

  39. Eli Lopes disse:

    Eu revi o filme recentemente
    O possível sonho de Cobb começa em Mombaça (na África) quando conhece Yusuf, ao testar um poderoso sonífero ele sonha com Mal e “acorda” tão angustiado que não consegue nem girar o pião no banheiro

    http://www.saindodamatrix.com.br/archives/2010/08/inception.html

  40. Fernando Maziero disse:

    Ninguém percebe que o Cobb “mata” o Saito no final do filme? Na cena em que eles estão no limbo e o Cobb tenta convencê-lo a voltar ele usa exatamente o mesmo argumento que usou com a Mal (esse mundo não é real. Precisamos nos matar para voltar). A expressão facial do Cobb quando fala isso demonstra que ele sabe que está levando o Saito à morte. Tanto é verdade que ele tenta segurar as palavras de alguma forma, mas acaba falando, pois sabe que aquela era a única forma de convencer Saito a voltar.
    O filme não mostra a continuidade, mas a conclusão é lógica: Cobb inseriu uma idéia no subconsciente de Saito e isso o levará à morte.

  41. Claudinha disse:

    Adorei tudo que li aqui….mas vou ficar com o final que ele conseguiu voltar para a realidade já que ele está sem a aliança, que pra quem assiste é o Totem real para saber se ele está sonhando ou não. Sempre que está sonhando ele usa a aliança e no final está sem ela….
    beijos

  42. Pam disse:

    Eu acredito na teoria de que Mal plantou uma idei na cabeça de Cobb, pois a lembraça do final é a mesma do seus sonhos. Acredito que Cobb realmente está tendo um sonho pela frase que dizem “o limpo é sua realidade” foi isso que aconteceu. E mal está lá para traze-lo de volta.

  43. Adan Eduardo disse:

    Lembrando que no final do filme, o totem (se vocês repararem direito) realmente vai perdendo velocidade nos últimos segundos do filme… Só nos da a impressão de que ele não parou, mas se tivesse ao menos mais 2 segundos de filme iriamos ver o totem caindo normalmente.

  44. Anônimo disse:

    No final da resenha vc se questionou quanto tempo ele ( nolan) deve ter levado pra bolar esse filme, e eu te respondo: ele levou 10 anos pra

  45. Ankor disse:

    Respondam-me. Se era tudo um sonho, porque Mal não consegue resgatá-lo após o suposto suicídio? Lá da outra realidade? Sendo assim, se for realmente tudo um sonho, todos os personagens do filme são criações do Cobb e ele próprio é algo desconhecido.

    Não entendo essa quantidade de dúvidas pois se era um sonho, a Mal não precisaria ficar invadindo a mente dele para resgatá-lo, como sugeriu a Soraia. Bastaria acordá-lo, lá da tal realidade verdadeira. Ou estou errado?

  46. qllum disse:

    Acho que o film foi simplesmente um sonho de nolan haha!!

  47. Fernando Lima disse:

    Olha, cheguei à este blog porque assisti o filme hoje pela 8a ou 10a vez, e ainda não estava convencido do final. Antes de tecer minhas considerações, quero dizer que fiquei impressionado com a qualidade dos comentários do autor do blog, e dos colaboradores que expressaram suas opiniões antes da minha.

    Bem, um fato que sempre me deixou intrigado, em todas as vezes que assisti o filme, é que no final, quando todos acordam no avião, e passam pela burocracia do aeroporto, o Fischer olha para o Cobb com ar de desprezo, com se olha para um transeunte ou desconhecido qualquer.
    Todos quer participaram da inserção têm lembranças da missão, e se conhecem entre si, mas o Fischer não reconhece Cobb.

    Não sei… conversando sobre este enredo com o pessoal aqui de casa, surgiu uma “teoria alternativa”. Toda a inserção aconteceu, na verdade, no subconsciente do Saito, para que ele pensasse que a missão tinha funcionado e usasse sua influência pra aliviar a barra do Cobb.

    Quanto à idade, pode-se perceber sim um envelhecimento de Cobb no limbo, quando encontra Saito. Claro que há uma difernça (como se Saito estivesse lá ha pelo menos uns 30 anos, enquanto Cobb estaria à sua procura por um período de 10 ou 15 anos).

    Quanto ao final, podemos afirmar justamente que Nola brincou com as nossas mentes, trabalhando duas possibilidades: se nos apegarmos apenas ao fato de Cobb enxergar o rosto das crianças e interagir com elas, podemos afirmar que ele estava acordado; se atentarmos exclusivamente ao totem ‘peão’, poderíamos afirmar que o mesmo não parou de girar, e que, por este motivo, estaria Cobb preso no mundo do sonho.

    Eu percebi, durante o desenrolar da história, que Cobb entrou no mundo do sonho sozinho diversas vezes (Ariadna o surpreendeu em 2 oportunidades, e invadiu um sonho numa 3a ocasião). Acredito que Cobb estava trabalhando em seu próprio subconsciente, criando compartimentos secretos e invioláveis pra guardar a dor e o remorso que sentia. É possível também que estivesse reconstruindo um mundo de sonho, em que pudesse viver livre da presença hostil da Mal, e pudesse interagir com os filhos. Essa tese pode ser reforçada pelo fato de as crianças não terem envelhecido, pelo peão que não caiu e pela ausência da avó na cena de desfecho do filme.

    Quero assistir esse filme tantas vezes quantas eu tiver oportunidade, pra ver se outros detalhes surgem e nos ajudam a compreender um pouco mais a intenção e provocações do Diretor.

    Abraços.

  48. joao vitor disse:

    Adan Eduardo se vc tivesse realmente entendido o filme não diria isso pois não seria relevante a queda do pião de Mal. O pião NÃO era o totem de cobb e sim uma lembrança que o remetia a Mal já que seu totem era sua aliança de casamento, o motivo da cena final com o pião é mostrar que cobb não se importava mais se o pião ia cair ou não ele só queria viver sua vida com seus filhos e seguir em frente deixando Mal como uma lembrança distante. Essa ideia foi inserida m sua mente por ariadne no momento em que ela mata Mal enfraquecendo a ideia dela ser real, o plano por traz do inception feito em cobb foi arquitetado por miles o pai de Mal. Alem do que a escada de penrose que oi mostrada no filme por arthur é o que nos ajuda a aceitar a ideia de cobb apenas achar que esta indo na direção certa para a realidade quando na verdade ele esta se afundando cada vez mais no limbo que se tornou seu mundo, sua realidade preso para sempre em sua mente,

  49. Diego disse:

    Tenho uma explicação para o que vc chamou de erro no item 4.

    O pessoal do 3o nível não foi afetado pelas voltas da van no 1o nível pq todos estavam amarrados no quarto do hotel no 2o nível.

    Apenas o cenário sofreu impacto (avalhanche)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 31 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: